Oscar

Oscar

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Vingança entre Assassinos

Mortal Kombat

Existem muitos filmes ruins baseados em games. Essa tem sido, aliás, a ordem dos fatores em Hollywood. Um game bacana faz sucesso e logo vira um longa-metragem - geralmente de qualidade discutível. Ao assistir Vingança entre Assassinos, diretamente lançado em DVD, tive a oportunidade de ver essa ordem ser invertida – na minha imaginação, ao menos. É a primeira vez que confiro um filme de qualidade discutível ter todas as ferramentas necessárias para virar um excelente vídeo game. Bastaria que os produtores acertassem os ponteiros com alguma empresa responsável por desenvolvimento de jogos e pronto. Claro que, pelo fato do filme não ser grande coisa, acabou não fazendo sucesso algum. Também pudera. Foi lançado diretamente em DVD no próprio país de origem, os Estados Unidos, e minou totalmente qualquer chance de podermos escolher alguns dos assassinos profissionais que participam desta trama para jogar no nosso console favorito.

Com roteiro de Gary Young (de Heróis de Guerra), junto dos estreantes Nick Rowntree e Jonathan Frank, Vingança entre Assassinos é pura e simplesmente um filme de ação para a geração Jogos Mortais. Ou seja, muito sangue e nenhuma vontade de esconder ou deixar no mistério o que acontece quando, digamos, o tiro de uma escopeta arrebenta a cabeça de um pobre diabo. Na trama, de sete em sete anos, um lugar ao redor do mundo é escolhido para sediar um reality show para ricaços, no qual um bando de assassinos caça um ao outro para ganhar uma baba em dinheiro.

O vencedor do confronto passado, Joshua Harlow (Ving Rhames, de Pulp Fiction), estaria à milhas de distância desta nova edição caso não tivesse sede de vingança. Sua esposa foi morta e Joshua tem certeza de um dos assassinos do jogo foi o seu executor. Entre o rol de potenciais culpados está Miles Slade (Ian Sommerhalder, do seriado Vampire Diaries), um caipira metido a rockstar e sem nenhum pudor do seu sadismo; Anton Bogart (Sebastien Foucan, de 007 Cassino Royale), francês fera em parkour, que conseguiu dar um jeito de burlar as regras do jogo; e Lai Lai (Kelly Hu, de Duro de Matar 4.0), assassina com coração, que acaba ajudando o mais improvável dos participantes: o padre MacAvoy (Robert Carlyle, de Eragon), homem do clero que, em meio a uma confusão, entra no reality show sem querer.

Não é preciso ter dois neurônios para entender que Vingança entre Assassinos foi realizado apenas para divertir uma parcela do público que adora explosões, sangue, tiros e adrenalina. Quanto a isso, o longa-metragem dirigido pelo estreante Scott Mann consegue dizer a que veio. Algumas cenas de ação são realmente bem executadas, principalmente as que envolvem o sempre impressionante Sebastien Foucan e seus pulos – e quem não se lembra da participação do francês em Cassino Royale certamente não viu o filme.

Mas quando falamos de narrativa e da pretensa história por trás do torneio, Vingança entre Assassinos cai vergonhosamente em um valão de clichês estúpidos, personagens rasos como pires e atuações risíveis. A propósito: o prêmio para pior atuação vai, sem sombra de dúvidas, para Liam Cunningham (de Fúria de Titãs), interpretando o host do jogo, Powers. Há tempos não via uma performance tão canastrona de um ator profissional. Roberto Justus seria mais verdadeiro, caso fosse escalado. Ving Rhames e Ian Sommerhalder estão igualmente caricatos, enquanto que Robert Carlyle consegue dar um pouco de brilho para seu padre desencaminhado. E se Kelly Hu não é uma atriz completa, ao menos não passa vergonha como a assassina de bom coração.

É uma pena que até as boas idéias visuais de Vingança entre Assassinos são colocadas na lata do lixo por se tornarem óbvias demais. Em determinada cena, o padre e sua parceira assassina estão no banheiro, sentados cada um em sua respectiva privada, conversando. Penso: que engraçado, os caras subverteram a idéia do confessionário. Passam apenas três segundos e o padre coloca em palavras o que já estava óbvio na imagem: “Parece o confessionário aqui, não?”. Com isso, dá para perceber o quanto a equipe do filme confia na inteligência do seu espectador. Por essas e outras, só é possível recomendar Vingança entre Assassinos para fãs hardcore do gênero. Ou para quem curte vídeo games sanguinolentos, que talvez viessem a concordar comigo que a premissa deste longa-metragem daria um jogo e tanto.

Vingança entre Assassinos (The Tournament)
Dir.: Scott Mann
Com Ving Rhames, Robert Carlyle, Kelly Hu, Ian Sommerhalder, Liam Cunningham, Sebastien Foucan
Cotação Paradoxo: Vale 55% do ingresso

Confira logo abaixo o trailer de Vingança entre Assassinos:

Nenhum comentário: